Trio Guará, JP Barbosa e Paulo Malheiros

Evento realizado em:
26/10/2019 na Catedral da Sé

Dedicada ao ar, a segunda apresentação ligada aos elementos naturais representados na Catedral da Sé, apresenta uma formação instrumental contendo saxofones, flauta e trombone, além de piano, baixo e bateria. No repertório, clássicos que fazem referência ao tema e canções autorais do grupo. Do ponto de vista arquitetônico, catedrais – com seus altos pés-direitos e grandes corredores – são espaços que impressionam o público também por sua amplidão. Assim, é possível dizer que o ar – mesmo que elemento invisível – é um dos mais importantes nesse tipo de construção. No campo das artes, dezenas de esculturas e vitrais da Catedral da Sé trazem também imagens de anjos e pássaros (de representações do Divino Espírito Santo, a partir da icônica imagem de uma pomba, às garças brasileiras presentes nos capitéis da nave).

Previous
Next

Sobre

Colocado entre os 5 finalistas (de 120 participantes) do “1o CCBC Jazz Festival – Novos Talentos da Música Brasileira”, o Trio Guará tem como característica o criativo diálogo entre seus instrumentos. Com formação de um trio de jazz tradicional (Flavio Iannuzzi ao piano, Noa Stroeter no baixo e Marcos Magaldi na bateria), traz arranjos bastante originais e brasileiros para clássicos e novas composições de seus integrantes. Jota P. Barbosa nascido em Chavantes SP começou estudar saxofone aos 9 anos de idade. Aos 12 já tocava profissionalmente. Em 2011 lançou seu primeiro CD “Jota P.” e em 2014 o segundo “Em Ritmo de Mudança”. Dos trabalhos gravados recentemente destacam-se os CDs “Hermeto Pascoal & Grupo – No Mundo dos Sons” (ganhador do Prêmio da Música Brasileira) e “Hermeto Pascoal & Big Band – Natureza Universal” (ganhador do Latin Grammy). Paulo Malheiros hoje integra como músico e arranjador os grupos: Soundscape Big Band, Reteté Big Band, Hermeto Pascoal Big Band, Orquestra Jazz Sinfônica Brasil, e o Grupo Quebra Cuia. Estudou com professores como David Richards e Daniel D’Alcantara, ganhou o Prêmio “Open Berklee/Souza Lima”, realizado em 1997 e, em 2004, venceu o Prêmio de “destaque entre bolsistas” do Festival de Campos do Jordão, MPB/Tatuí.